Obstipação – Prisão de Ventre

Fevereiro 11, 2021
Obstipação – Prisão de Ventre

A obstipação, ou prisão de ventre, é um problema de saúde manifestado pela diminuição da frequência da defecação ou pela dificuldade de evacuar devido à consistência das fezes excessivamente duras.

É certo que este problema atinge todas as idades, contudo, tem maior relevância na gravidez e na idade avançada.

 

Causas da obstipação

Algumas das causas mais comuns da obstipação estão relacionadas com:

  • Hábitos e estilos de vida como, por exemplo, ser sedentário, alterações de horários e viagens;
  • Doenças do tubo digestivo, doenças endócrinas e neurológicas;
  • Uso excessivo de laxantes;
  • Gravidez;
  • Determinados medicamentos tais como, antiácidos, anticolinérnigos (antidepressivos e antihistamínicos), opiáceos, antagonistas dos canais de cálcio, diuréticos e AINES.

 

Sintomas

Por um lado, se a obstipação for ligeira e durar menos de três meses então classifica-se como obstipação ligeira. Por outro lado, se durar mais de três meses podendo afetar a qualidade de vida do doente, então, já é considerada obstipação crónica.

Assim, para ser considerada obstipação, devem aparecer dois ou mais sinais durante pelo menos dois meses:

  • Esforço, em pelo menos, uma em três defecações;
  • Sensação de defecação incompleta, um em três defecações;
  • Fezes duras, em pelo menos, uma em três defecações;
  • Menos de três defecações por semana.

Assim sendo, a obstipação pode ser autolimitada, no entanto quando é crónica pode estar associada a hábitos de vida ou a doenças que requerem tratamento médico.

 

Terapêutica

Terapêutica não farmacológica:

  • Em primeiro lugar, beber líquidos abundantemente, pelo menos 1,5 litros de água;
  • Em segundo, adotar uma dieta rica em fibra: frutas, cereais, saladas e legumes;
  • E, ainda, praticar exercício regularmente: por exemplo, 30 minutos de caminhada por dia;

Terapêutica farmacológica:

  • Laxantes:
  1. Osmóticos: lactulose (Dulphalac®);
  2. Que aumentam o volume: macrogol (Dulcosoft®);
  3. Estimulantes do peristaltismo intestinal: bisacodilo (Dulcolax®), senósidos (Pursennide®), bisacodilo + senósidos (Bekunis®), citrato de sódio/laurilsulfato de sódio (Microlax®), promelaxin (Melilax®);
  4. Evacuadores tópicos: glicerina em supositórios.

 

No entanto, no caso de não haver defecação num período superior a uma semana, o doente deve ser encaminhado para o médico, sobretudo se se tratar de crianças, grávidas, lactentes e se houver sangramento, dor intensa, vómitos e febre.

 

Referências Bibliográficas:

[1]  “Protocolo de Indicação Farmacêutica nº72”, Revista Farmácia Distribuição nº333, julho-agosto- 2020;

 

Farmácia Central

A farmácia da Junqueira

252 624 626

252 617 674

geral@farmcentral.pt

Mantenha-se actualizado(a)

Siga-nos