Vaginose Bacteriana

Julho 8, 2020
Vaginose Bacteriana

A Flora vaginal normal é maioritariamente constituída por um tipo de bactérias que são os lactobacillus, quando estes são substituídos por outro tipo de bactérias desencadeia a vaginose bacteriana.

Embora a vaginose bacteriana não seja considerada uma infeção sexualmente transmissível, está relacionada com a frequência da atividade sexual, novo parceiro sexual e múltiplos parceiros sexuais.

Ademais, a vaginose bacteriana não tratada aumenta o risco de adquirir infeções sexualmente transmissíveis e parto prematuro em mulheres grávidas. [1]

 

Sintomas

Alguns exemplos dos sintomas mais frequentes da vaginose bacteriana são corrimento fino, branco-acinzentado com odor intenso.[1]

 

Fatores de Risco

Inegavelmente, alguns dos fatores de risco documentados estão relacionados não só com a sexualidade (nomeadamente múltiplos parceiros sexuais), como também com o tabagismo. [2]

 

Prevenção
  • Higiene

É certo que podem ser aplicadas várias medidas de cuidado diário de forma a prevenir a vaginose como  evitar o uso de sabonetes sólidos dado o risco de contágio. Para além disso, este tipo de sabonetes geralmente têm um pH básico e dessa forma alteram o pH da zona urogenital facilitando a proliferação de bactérias indesejadas.

Primeiramente e acima de tudo, a limpeza deve ser feita no sentido frente para trás. Em segundo lugar, está indicada a higienização com formulações líquidas, hipoalergénicas e com constituintes adequados à higiene íntima que ajudam a manter o pH característico. Em seguida, não está recomendado inserir água no interior da vagina (duches vaginais). Por fim, tampões e pensos higiénicos devem ser trocados com frequência e devem ser de algodão. [1]

  • Hidratação 

Sem dúvida que a aplicação de hidratantes deve ser feita apenas na região de pele, com produtos adequados, estes não devem ser oleosos e precisam de ter um pH adequado, o seu farmacêutico pode prestar o aconselhamento necessário. 

Ainda assim, não devem ser utilizados óleos perfumados e desodorizantes na área genital. [1]

  • Vestuário

Certamente que evitar roupa interior demasiado apertada, proceder à sua troca diariamente e evitar permanecer com roupas molhadas como biquínis e roupas de desporto são alguns aspetos fundamentais para evitar desconfortos e alterações da flora vaginal.

  • Probióticos

Por último, existem probióticos que podem ajudar a restabelecer a flora vaginal, que devem ser administrados mediante aconselhamento do seu médico ou farmacêutico. [1] [3]

Fontes Bibliográficas

[1]     “Revisão dos Consensos em Infeções Vulvovaginais,” Sociedade Portuguesa de Ginecologia, 2012.

[2]     C. T. Bautista, E. Wurapa, W. B. Sateren, S. Morris, B. Hollingsworth, and J. L. Sanchez, “Bacterial vaginosis: A synthesis of the literature on etiology, prevalence, risk factors, and relationship with chlamydia and gonorrhea infections,” Military Medical Research, vol. 3, no. 1. BioMed Central Ltd., pp. 1–10, 13-Feb-2016.

[3]     P. Bagnall and D. Rizzolo, “Bacterial vaginosis,” J. Am. Acad. Physician Assist., vol. 30, no. 12, pp. 15–21, Dec. 2017.

Farmácia Central

A farmácia da Junqueira

252 624 626

252 617 674

geral@farmcentral.pt

Mantenha-se actualizado(a)

Siga-nos